Conceitos em GP

De Brisk
Revisão de 17h04min de 19 de julho de 2018 por Peter (discussão | contribs)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

Principal | Vídeos | Conceitos em GP | Glossário | Roadmap | FAQ | AP*



Revisar.png

Conceitos de gerenciamento de projetos

Este tópico apresenta uma introdução aos principais conceitos relacionados ao gerenciamento de projetos.

Projetos

Segundo o PMI: “é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado único” (Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos – PMBOK, 6ª Edição, p. 3).

Um projeto é um empreendimento que deve ter: objetivo bem definido; bom argumento que justifique sua execução; tempo com datas de início e fim definidas; bem como escopo claro e realista.

O projeto acaba quando o produto ou serviço que foi concebido por ele é entregue para a utilização pretendida, ou quando simplesmente é cancelado ou abortado. Um projeto é considerado bem-sucedido quando é realizado conforme planejado, atingindo seus objetivos e, por consequência, as expectativas das partes interessadas, agregando valor à instituição.

Operações

Operações são ações continuadas, repetitivas e que geram sempre o mesmo resultado, a exemplo de um processo fabril.

Operações em algum momento podem ser confundidas com projetos por possuir atividades semelhantes (produção de um bem ou serviço), porém, um projeto (conforme sua própria definição) possui um fim definido apesar de seu resultado muitas vezes ser a produção de um bem ou serviço, porém, quando o projeto alcança seu objetivo final ele é encerrado, enquanto que uma operação pode dar continuidade à produção sequencial do produto do projeto por tempo indeterminado.

Projetos x Operações (Diferenciação entre projeto e atividade funcional)

Projetos e operações confundem-se do ponto de vista das atividades porque ambos alocam pessoas, têm prazos para suas atividades e visam atingir um resultado.

Porém, as operações têm suas ações repetidas ao longo tempo, dando vida e continuidade a um processo. Os projetos, por sua vez, possuem entregas variadas para alcançar um propósito, que é o objetivo final para o qual o projeto foi concebido. Há um fim determinado para o projeto que se dá quando o produto ou serviço para o qual foi criado é aceito, ou quando o projeto, por alguma razão, é cancelado. Operações são realizadas repetidas vezes dentro do processo definido de modo que, se forem interrompidas ou cessarem, sinalizem problemas de produção ou apenas a descontinuidade de sua execução por interesse da organização.

Gerenciamento de Projetos

O Gerenciamento de Projetos é a aplicação do conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto para atender aos seus requisitos, fundamentado pelo desenvolvimento de método de gestão. Os métodos mais conhecidos em Gerenciamento de Projetos atualmente são os baseados nas boas práticas preconizadas pelo PMI, através do Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (PMBOK), atualmente na 6ª edição, e o framework PRINCE 2 (com suas versões Fundation, Practitioner e Professional) mantido pelo Office of Government Commerce do Reino Unido.

Escritório de Projetos

O Escritório de Projetos (EP) é uma estrutura, função ou unidade organizacional que centraliza e coordena o gerenciamento de projetos sob seu domínio. As responsabilidades de um EP podem variar desde fornecer funções de suporte ao gerenciamento de projetos até ser responsável por gerenciar os projetos. A forma, função e estrutura específicas de um EPC dependem das necessidades da organização a qual ele suporta. Enquanto os líderes de projetos enxergam apenas os projetos sobre sua responsabilidade, o EP engloba todos os projetos sob sua governança com uma perspectiva mais estratégica. O EP apoia a alta administração

Gerenciamento de Programas

Um programa é um conjunto de projetos relacionados, gerenciados de modo coordenado, a fim de obter benefícios não disponíveis se gerenciados individualmente. Um aspecto importante do programa é que ele é orientado a benefícios. Enquanto o foco do projeto é a entrega do bem, produto ou serviço a que ele se propôs, o do programa é a realização dos benefícios por ele perseguidos. Benefícios não são produtos, mas sim impactos e resultados percebidos pela sociedade, organização, serviços, etc. O Gerenciamento de Programas é o gerenciamento coordenado e centralizado de um programa visando o alcance dos seus objetivos e benefícios estratégicos. Em programas, é importante integrar, monitorar e controlar as interdependências entre os projetos. O gerenciamento de programas foca nessas interdependências e ajuda a determinar a abordagem ideal para gerenciá-las.

Gerenciamento de Portfólio

Um portfólio de projetos é um conjunto de projetos e programas. Seu objetivo é facilitar o controle efetivo das ações para atender às necessidades estratégicas organizacionais. Dentro do gerenciamento do portfólio são realizadas a identificação, seleção e priorização dos projetos.

Uma vez priorizados os projetos e o Comitê Gestor de Tecnologia da Informação (CGTI) ter aprovado o portfólio, será durante a atividade de balanceamento da capacidade que o escritório de projetos verificará a disponibilidade inicial de recursos humanos, materiais e financeiros para um determinado projeto. Também é durante o balanceamento da capacidade que é dada a autorização de início do projeto, tão somente quando existirem recursos suficientes para a sua execução.

Alguns dos benefícios de um gerenciamento de portfólio são:

  1. Administrar melhor os riscos dos projetos;
  2. Evitar excesso de projetos executados simultaneamente;
  3. Impedir que recursos caros sejam utilizados em projetos de baixa prioridade;
  4. Incentivar o engajamento da alta administração na gestão de projetos;
  5. Obter a visão geral dos status dos projetos;
  6. Oferecer apoio para a tomada de decisão;
  7. Permitir a visão da interdependência entre projetos;
  8. Priorizar projetos com grande benefício e baixo risco;
  9. Promover a Governança;
  10. Reduzir o número de projetos redundantes ou sem alinhamento estratégico;
  11. Validar se o projeto está alinhado com a estratégia.

Um portfólio é formado pela sistematização de processos para a gestão de projetos e programas – com a aplicação de diversas ferramentas de análise, categorização e nivelamento dos projetos contidos em sua carteira - com o fim de possibilitar maior assertividade nas decisões estratégicas de intervenção e apoio aos projetos e programas da organização, facilitando o sucesso e alcance das metas de todos os projetos e programas presentes na carteira de portfólio.

Conceitualmente, o gerenciamento de projetos está focado em realizar um projeto da forma adequada e o gerenciamento do portfólio está focado em realizar os projetos adequados para a organização.

Vargas.png

(Vargas, http://pt.slideshare.net/ricardo.vargas/ricardo-vargas-conceitos-basicos-gerenciamento-portfolio-ppt-pt-1323908)

O livro The Standard for Portfolio Management 3td Edition – SPM, publicado pelo Project Management Institute – PMI, consolida e elenca 5 (cinco) pilares de gerenciamento de portfólio, que são:

  1. Gerenciamento Estratégico
  2. Gerenciamento da Governança
  3. Gerenciamento da Performance
  4. Gerenciamento da Comunicação
  5. Gerenciamento de Riscos

Glossário

Centenas de tópicos relacionados ao Gerenciamenot de Projetos, entre definições, ferramentas e conceitos estão disponíveis neste glossário.

DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

  1. GP-TIC - Metodologia de Gestão de Projetos de TIC – TRT24a Região – versão 1.0;
  2. Um Guia de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos – PMBOK® - 6ª edição;
  3. Metodologia de Gerenciamento de Projetos do SISP (MGP-SISP) – versão 1.0;
  4. Metodologia de Gerenciamento de Demandas, Portfólio e Projetos do CSJT – versão 1.0.
  5. The Standard for Portfolio Management 3td Edition